1 de jan. de 2020

Top 15 Avaliados 2019 - Decepções/Desgostos


Há em grupos especializados nas redes sociais uma falsa noção de que apenas a perfumaria comercial é que tem sofrido com a falta de criatividade, a mesmice, o excesso de lançamentos e a sensação de que aparência prevalece em relação à essência, de que o que importa é o frasco, nome da marca e que o aroma em si pode ser qualquer coisa.

Em um momento onde estamos no ápice do consumismo na perfumaria e em um volume de lançamentos quase impossível de ser acompanhado temos muita porcaria sendo lançada em todos os segmentos do setor. Seria tentador fazer uma lista apenas com os ridículos perfumes de nicho caríssimos e que nada mais são do que um embuste, perfumes comerciais travestidos de exclusividade, porém tento aqui refletir diversos dos pecados da perfumaria atual.

Aqui há os momentos onde a perfumaria ainda insiste em passar cópia como criação própria - seja transformando em nacional acessível ou subindo o preço e colocando em frasco de cristal. Há os perfumes de fixação ridícula e preço caríssimo, as criações que parecem trabalho em grupo de ensino médio, os perfumes caça-níquel da galera da ostentação e os mais óbvios e em geral mais criticados - os projetos mornos, seguros e tediosos da perfumaria comercial.

Foi uma lista difícil de ordenar, muitos mereciam estar na primeira posição pelo oportunismo explícito e sem vergonha que propõem. E nenhum deles vale o trabalho de repostar no blog ou fazer o link com a avaliação - são perfumes para serem registrados no pior de 2019 e caíram no esquecimento de minha memória.

15. Natura Kaiak Ultra Masculino

"Passado o impacto olfativo do frescor mentolado, o que vem depois remete bastante ao aroma cítrico, amadeirado e de couro do perfume Aventus da grife de nicho Creed, o que é muito estranho para a Natura, que preza por oferecer perfumes que não são cópias/inspirações de importados. Além disso, Kaiak Ultra decepciona na performance, desaparecendo quase que completamente depois de 3 horas aplicado."

14. L'Acqua di Fiori Ototemo Secret

"É difícil entender por qual motivo alguém pagaria 180 reais por uma versão do Good Girl que não sai do morno. Talvez pelo frasco, que é bonito mas acaba custando muito caro por esse valor. É um perfume que não tem nada exatamente forte que vale a pena destacar para justificar uma compra"


13.Xerjoff La Capitale

"A forma mais fácil de você passar um perfume mediano e repetitivo em um preço maior é criar uma edição limitada e exclusiva, que foi como La Capitale nasceu. A princípio feito para o público russo, o perfume seria uma visão da marca para Moscow, a capital do país. O que eu diria é que essa homenagem parece mais como se alguém tivesse conhecido a capital sem sair do free-shop, visto que la capitale é um perfume gourmand como outros que tem por aí."

12.Mugler Alien Man

"Mesmo os aspectos mais excêntricos não transformam Alien Man em um perfume excêntrico e impactante como a versão feminina, soando relativamente seguro para uso cotidiano. Mugler aqui tenta atrair novos consumidores com uma proposta fougere segura e corre o risco de não conseguir isso e afastar os que esperam os perfumes mais impactantes da marca. Alien Man é a definição de medíocre, não é nem terrivelmente ruim nem extraordinariamente extravagante. É talvez um dos Muglers menos Mugler já lançado."

11.Diptyque Eau de Minthé

"Pessoalmente eu diria que esse é o lançamento mais fraco e decepcionante já feito pela marca até hoje. Eau de Minthé tenta surfar na tendência de renovação dos perfumes fougéres e revisar a família por meio da menta.Conceito mal representado, performance ridícula e uma modernização porca. Um projeto decepcionante"

10.Jusbox Cheeky Smile

"Para um perfume que é inspirado na criação do gênero Acid House na década de 80 achei algo meio tedioso e muito convencional. Uma mistura de ambroxan, iso e super e moléculas ambaradas e amadeiras, algo próximo a parte não adocicada do baccarat rouge. Caríssimo para o que é basicamente um perfume comercial."

9.Xerjoff Italica

"Qual é a proposta de Italica? Não há, a marca sequer se dá ao trabalho de propor uma. Italica é um souvenir, um perfume feito para ser comprado por ser exclusivo de uma loja e ter seu caráter escasso e especial inflado por isso. É um aroma gourmand que beira o artificial e desagradável, com uma saída que chega a remeter cheiro de gelatina de frutas vermelhas. "

8.Lancome Idole

"Acho irônico que o presidente da Lancôme diga em entrevista que Idôle pretende fazer uma afirmação política e feminista com Idôle, de mulheres que questionam o status-quo, se libertam das tradições e redefinem o sentido do sucesso. A perfumaria feminina nunca esteve tão descolada disso como atualmente, usando todos os códigos possíveis do que é caricatura do papel e representação da mulher. Ainda que pretenda fazer tais afirmações, Idôle é vazio de atitude política e feminista ao trazer um líquido rosa, uma atriz que representa um ideal de beleza longe da realidade e um aroma floral leve e radiante, justamente o que se espera de uma mulher e feito para que ela não marque com atitude o ambiente. É um perfume vazio de significado, indistinto e que se destaca mais pela inovação do frasco."

7.Herrera Bad Boy

"Aparentemente a Puig pretendia repetir o sucesso estrondoso do Good Girl com a versão masculina e pelo menos no conceito o perfume prometia bastante. Acompanhado de um frasco extravagante e chamativo, o perfume tinha como alvo um novo tipo de masculinidade, um homem sem medo de sua dualidade, algo forte e sensível, heróico e vulnerável, confiante em quem ele é e aceitado todos os lados de sua personalidade. O problema é que Bad Boy, o perfume, tem tudo menos personalidade, mostrando uma composição tão morna e tediosa que o que ela expressa é justamente medo de ser algo."

6.Versace Eros Flame

"Eros Flame promete algo forte, apaixonado, para um homem auto-cofiante que está em profundo contato com suas emoções. O frasco vermelho e o próprio nome prometem essa intensidade de emoções e aromas e a propaganda tem a ousadia de trazer a reinterpretação da clássica escultura onde Eros reaviva Psiquê com um beijo de amor. É bastante simbolismo jogado fora com um perfume onde que falta é justamente paixão e auto-confiança, como em um trabalho em grupo onde as frentes que desenvolveram frasco, propaganda e conceito não se comunicaram efetivamente com quem de fato desenvolveu o conceito da fragrância que seria dada ao perfumista."

5. 27 87 Elixir de Bombe

"Eu vejo a proposta da 27 87 como algo de fato cínico e uma boa interpretação da ideia narcissista que há por trás da nomeação da marca, cujo o nome se refere a data de nascimento da criadora. Elixir de Bombe existe dentro desse conceito e é claramente um perfume gourmand tentando ser hipster/gourmetizado para ter apelo para quem curte um perfume apenas pois ele é "diferente" do resto. Elixir de Bombe me parece um pouco amador para ser sincero, um perfume bem próximo com algo que já senti em pessoas começando a explorar a junção de criação de  perfumaria natural e de nicho."


4.Louis Vuitton Afternoon Swim

"Afternoon Swim representa para mim o pior do cenário, o tipo de criação oportunista, um projeto ralo e pobre de significado, coerência e profundidade. Nem mesmo a performance aqui é algo que realmente se destaque, o que é um pouco decepcionante dado o preço e o posicionamento. É como se a Louis Vuitton acreditasse que pudesse vender qualquer coisa ligada a seu nome que o seu consumidor será incapaz de perceber que está pagando caro e recebendo algo barato. Não há justificativa aqui para o que é entregue."

3.Boadicea Spirit

"Esse tipo de perfume me deixa revoltado pois para mim isso é extorsão de pessoa inocente - alguns compram por ostentação mas muitos acreditam na história e excelência do que é vendido aqui. O problema é que esse tipo de narrativa só se sustenta pela ausência de conhecimento do público mais novo da perfumaria do passado. 515 dólares por um chypre verde de gálbano que remete ao Jacomo Silences, que custa 30 dólares, é um grande roubo e não há frasco luxuoso ou nome pomposo que justifique isso."

2.Parfums de Marly Percival

"Percival é o que acontece quando a indústria, seja de nicho ou comercial, não tem o mínimo interesse em educar olfativamente seus consumidores e cede a qualquer vontade deles. É uma criação comercial cínica, o equivalente de um hamburguer gourmet que custa 3x mais com a mesma qualidade de outros, apenas você paga por uma (suposta) experiência. Certamente Percival faz outras criações comerciais da marca parecerem obras de arte da perfumaria, ele é bem medíocre."

1.Royal Crown Rain

"Esse custa sem descontos mais de 500 dólares e é basicamente uma variação do green irish tweed/cool water (e se vc quiser ser mais malvado, quasar). O que tem de desenvolvimento olfativo em uma ideia que é mais cara que outra e é meramente um clone da mesma? E isso seria diferente de um contratipo em sua essência, mesmo que não atrele o nome a ideia, já que é basicamente uma variação de outro perfume já existente?"