17 de fev. de 2020

By Kilian Back to Black - Avaliação/Resenha/Review



Lançado em 2009 como uma das primeiras expansões da linha original de fragrâncias da marca By Kilian Back to Black já é um clássico e certamente é um dos melhores da marca. 

Mutos Kilian são experiências decepcionantes pois entregam perfumes comerciais a preços estratosféricos no qual não há grandes melhorias na fragrância em si. Já Back to Black é um dos que consegue vender muito bem a ideia de luxo e sofisticação em um belo aroma de tabaco.

Prestando uma homenagem à cantora Amy Winehouse e seu segundo álbum que leva o mesmo nome do perfume, Back to Black é, segundo o conceito, um retorno à sensualidade e a atração narcótica do tabaco. Certamente não é qualquer tabaco, e sim um tabaco de cachimbo aromatizado com sofisticação e harmonia. 

Se em Forbidden Games a perfumista Calice Becker decepciona com um perfume ridículo aqui ela faz um trabalho que entrega tudo que você espera de um tabaco sedutor e narcótico.

Back to Black tem uma aura de certa forma linear, indo do começo ao fim ao redor do aroma de tabaco. Esse é um tabaco que tem um aspecto defumado e um aroma de mel adocicado e ao redor dele temos um aroma de cerejas, nuances de amêndoas e tonkas e toques especiados de açafrão e cardamomo.

 De fundo há uma certa aura doce e amadeirada e que remete a um licor, estendendo muito bem o aroma do tabaco sem tirar o foco dele. É um aroma denso e que é complexo, mas que da forma que é construído te dá a impressão de ser algo simples em suas nuances porém exótico em seu aroma. 

É um perfume que parece fazer jus a sua musa inspiradora e seu álbum, com uma aura retrô e um certo aspecto carnal erótico e que não é politicamente correto. Um dos poucos da marca que vale a pena conhecer.