4 de fev. de 2020

Roja Dove Elixir Parfum - Avaliação/Resenha/Review


Uma maneira que Roja Dove encontrou de conciliar seu público mais tradicional e o seu público mais jovem e comercial foi a de continuar trabalhando com as versões parfum mesmo para os perfumes Elysium e Elixir. Na concentração mais cara e mais preciosa a marca se aproxima mais de seus consumidores mais fieis e trabalha de uma maneira mais clássica o que tenta ser retratado de maneira mais acessível na concentração Essence de Parfum. Ao mesmo tempo, essa concentração também é uma maneira de ajudar a marca na sua estratégia de criar um caminho de complexidade e evolução olfativa, tentando fazer uma ponte para tornar mais fácil ao público mais jovem preparar o nariz para perfumes mais clássicos e rebuscados.

A versão Elixir Parfum faz justamente isso, aproveitando uma concentração maior e um preço maior de fórmula para dar ainda mais riqueza ao corpo floral da composição. Isso torna a rosa mais luxuosa, ainda que continue a ser delicada e frutada. O lado mais atalcado da composição fica um pouco mais evidente, dando uma aura discreta de gloss labial. O aroma frutado da saída se torna mais suculento e  parece abrir espaço para que o pêssego se torne mais evidente junto com a amora e algo que remete a framboesa (e parece vir das rosas).

A base continua a ser um ponto de atenção em Elixir, trazendo um aroma cremoso de musks que soa muito simples. O objetivo parece ser o de não roubar a atenção da riqueza das rosas e do aspecto frutal, porém a última fase do perfume continua a ser simples para algo tão luxuoso e caro. Um tratamento mais complexo poderia ter sido dado aqui, talvez dando mais ênfase a iris, baunilha ou sândalo.

A marca parece muito cuidadosa no processo de atrair as consumidoras jovens para algo mais caro e sofisticado, mas essa cautela acaba comprometendo o lado luxuoso da composição em seus últimos momentos e não sei se essa edição mais cara e extravagante é o suficiente para a consumidora mais clássica e fiel da marca. Ainda deixa a desejar mesmo na versão mais extravagante.