27 de mar. de 2020

In The Box Green Pool - Avaliação Perfume Contratipo (Ralph Lauren Polo Green)


Em termos de portfolio a In The Box é hoje uma das mais enxutas no mercado de contratipos, sendo uma empresa recente no mercado com uma abordagem de desenvolver cuidadosamente cada inspiração olfativa. Isso faz com que ela seja mais voltada para os perfumes lançados recentemente no mercado e que possuem uma maior demanda do público. Entretanto há alguns clássicos muito bem executados dentro do catálogo da marca, perfumes que vendem bem até hoje e que resistiram ao tempo mesmo que hoje sejam vistos como aromas mais maduros. É o caso do clássico chypre fougere da Ralph Lauren, Polo Green, que ganha a sua versão na In The Box batizado de Green Pool.

Dependendo da sua idade e preferências olfativas o aroma do Green Pool (e consequentemente do Polo Green) pode ser visto tanto como um perfume sofisticado, um aroma de homens maduros ou até mesmo como um perfume de "macho-alfa", entretanto o que Polo Green é na realidade é um clássico e clássicos quando bem administrados continuam vendendo pois há uma grande coerência no aroma que eles entregam do começo ao fim. Clássicos na minha opinião encapsulam a melhor interpretação de seu tempo, dos gostos e conceitos desenvolvidos e não deixam de ser elegantes quando os gostos mudam, apenas precisam ser redescobertos por uma nova geração.

Nesse caso Green Pool Oferece uma boa chance de se conhecer o estilo de um fougere clássico, uma combinação que em sua essência gira ao redor de lavanda, coumarina, musgo de carvalho e bergamota e que na década de 70, década que o Polo Green foi lançado, foi levada em uma direção mais verde e amadeirada. A In The Box faz um bom esforço em se aproximar da ideia original, sem reformulações ou perdas de qualidade, e o perfume entrega um bom fougere amadeirado chypre. Seu aroma começa com algo bem verde e medicinal, quase como uma loção pós barba clássica, para aos poucos ir ganhando um contorno amadeirado quente e até mesmo um pouco úmido e terroso, devido ao aspecto chypre da base. Entre a saída e o fim há um aroma meio mentolado e especiado seco e um tabaco que não tem nada de adocicado.

Do começo ao fim Green Pool mantém o aroma seco e verde do Polo e mostra um aspecto mais sizudo e sério que apesar de nas útimas décadas ter sido associado a perfumaria masculina não é muito distante de vários clássicos femininos anteriores à decada de 80 (exemplos: Cabochard, Azuree, Aromatics Elixir). É difícil avaliar o resultado final da inspiração sem falar do perfume original visto que a inspiração faz um excelente trabalho em restaurar o que interesses comerciais foram suavizando ao longo das décadas no Polo original. Nesse sentido a perfumaria de contratipos acaba sendo intrigante, pois pode funcionar como uma espécie de nicho que foca justamente em entregar a melhor fragrância, mesmo que essa seja uma fragrância conhecida, para um público onde o interesse maior é no aroma em si e não na apresentação,nome e prestígio. Quem busca um clássico bem executado ou um perfume diferente das tendências atuais pode ter uma grata surpresa aqui.