27 de abr. de 2020

FO'AH Memoirs d'une Palmeraie 14 - Avaliação Perfume



Com a sua primeira coleção lançada em 2018 a FO'AH é mais uma das marcas que pula na tendência da já saturada perfumaria árabe de agarwood, procurando garantir seu lugar ao sol explorando clichÊs ao mesmo tempo que tenta trazer uma perspectiva nova para eles.

A ideia do que seria diferente na marca e na coleção de perfumes está justamente no nome, que se refere ao florescimento da tamareira. A ideia da marca é capturar a abstração de uma tamareira da árvore ao fruto e contextualizá-la no calor e exoticidade da perfumaria árabe, como se a palmeira florescesse no meio do deserto, simbolizando o florescer do encontro da perfumaria francesa com a árabe.

A ideia em si me parece interessante ainda que possa ser um limitante de crescimento posterior da marca. Tudo aqui vai numa direção chique, sofisticada e exótica mas ao mesmo tempo parece não atingir nada especificamente. A coleção contaria histórias relacionadas as tamareiras, mas quais histórias a FO'AH nunca deixa claro ao consumidor.

Memoirs d'une Palmeraie 14 é um exercício de perfumaria árabe classe interpretada com o equilíbrio da perfumaria francesa. O perfume é basicamente dominado pelas notas que mais aparecem juntas na nova leva de perfumes de temática árabe: açafrão, agarwood e rosas. A interpretação deles não muda muito também, abrindo espaço apenas para que um aroma verde e levemente frutado apareça entre as rosas, açafrão e oud.

A composição é arredondada de maneira interessante. Em alguns momentos parece ir para um lado chypre, em outros se mostra cremosa e delicada como o aroma do sabonete Dove. São como miragens vistas num deserto de oud, rosa e açafrão. E observamos essas miragens debaixo da tamareira, o que refresca e torna menos intensa a temática de oud da composição. É a história que o perfume conta na pele e a qual deduzo ser a história da fragrância já que a marca não se dá o trabalho de explicar o que realmente queria fazer aqui em termos olfativos.