14 de abr. de 2020

L'Envie #002 The Patchouli Affair - Avaliação Perfume


Com a segunda fragrância de sua coleção a L'Envie vai em uma temática olfativa que não é preciso muita explicação conceitual para que se entenda o que é entregue. Apostando na temática de nicho de exaltar a preciosidade dos materiais a marca se propõe a uma composição com o patchouli como protagonista, adicionando matérias primas que o complementem e exaltem sua personalidade. Dessa forma é desejado, segundo a proposta, uma viagem ao passado com o olhar no futuro.

A princípio esse era uma das criações que menos me empolgava para testes. Ainda que no mercado brasileiro e comercial existam poucos perfumes de patchouli não faltam perfumes de nicho e exclusivos que o explorem das mais diversas maneiras. Muitos deles acabam indo pelo mesmo caminho e cheiram como se você simplesmente tivesse diluído o aroma terroso e de conotações amadeiradas e adocicadas, clamando como criação algo que na verdade é obra da natureza.

Não é o caso de Patchouli Affair, que realmente consegue ir para uma nota clássica e batida e acrescentar riqueza e um certo refinamento e beleza que nem sempre é fácil de se conseguir. The Patchouli Affair consegue modernizar a temática de um patchouli clássico sem recorrer a notas gourmands e chypres, o que por si só já é uma excelente surpresa.

Na abertura o perfume me parece remeter ao mesmo aroma amadeirado, cítrico e lustroso de outro Patchouli, o Patchouli Imperial da Dior. As semelhanças param por aí pois o aspecto mais lustroso some e abre espaço para a utilização de aspectos especiados frescos de gengibre e um aroma levemente floral e cítrico. Percebo também a presença sutil da lavanda aqui dando um frescor medicinal aromático que casa muito bem com o patchouli.

Quando vai para a base o perfume consegue o feito de entregar um patchouli que é terroso e amadeirado sem ser pesado. Para isso encontra-se um bom equilíbrio onde ele é permitido brilhar e exalar na pele ao mesmo tempo que uma base amadeirada, mineral e macia se desenvolve ao redor dele, tornando a temática menos cansativa e menos monolítica. O perfume entrega uma boa performance, harmonia e boa riqueza em sua evolução e consegue ser bem satisfatório em uma temática tão batida onde costuma prevalecer mais do mesmo.