7 de abr. de 2020

Maracujá Brasil Fava Tonka & Chocolate - Avaliação Perfume


Há sempre o risco quando não se trabalha muito bem o conceito de uma fragrância em relação às outras referências olfativas nas quais ela se apoia. O limite entre uma fragrância criativa que remete a outra e um contratipo pode ser algo muito tênue e em mais de um perfume a Maracujá Brasil flerta com isso. Mas em nenhum deles isso é tão explícito como em Fava Tonka & Chocolate.

É um pouco decepcionante isso, não pela empresa oferecer perfumes que pareçam contratipos mas por tentar passá-los como criações novas e originais, ainda mais com uma roupagem de perfumaria de nicho. Fava Tonka & Chocolate tinha potencial para ser algo de fato mais ousado e diferente mas prefere ficar na zona de conforto e ser uma espécie de contratipo da franquia Angel/Amen de Thierry Mugler.

É como se a marca e o perfumista tivessem trabalhado para tornar mais comercial a ideia do Amen, tirando os aspectos mais difíceis da saída e dando mais ênfase ao patchouli, que aqui ganha contornos secundários de chocolate, algo que é mais evidente na versão feminina do Angel. A tonka acaba ficando como protagonista secundária, misturada às especiarias e ao tabaco com nuances de mel. Às vezes essa presença mais evidente do Tabaco até parece levar o perfume na direção do Pure Havane mas fica mais como uma promessa de semelhança do que algo que se concretiza.

De todos os integrantes esse é um dos que possuem a intensidade e performance mais próxima a de um EDP mas não é nada que se destaque diante de bons contratipos do perfume Amen, que já trazem boa performance. É um perfume agradável, bem feito, porém desnecessário, um que só convence mesmo a alguém que esteja iniciando agora na perfumaria e não tenha bagagem suficiente para perceber similaridades.