21 de mai. de 2020

Cartier L'Heure Fougueuse - Avaliação Perfume


L'Heure Fouguese é um dos perfumes que mostra o como a Cartier ousou muito mais do que outras grifes mais comerciais em sua coleção exclusiva e de prestígio. Quem mais teria uma arriscaria uma proposta como a de Mathilde Laurent de capturar o aroma do couro e da crina de um cavalo? O nobre animal é capturado de uma maneira abstrata e elegante e não leva L'Heure Fouguese a um território puramente animálico e fecal.

Em vez disso, a captura do aroma da pele é feito de uma forma sutil, com uma aura quente e distante, um aroma que parece reconstruir o cheiro almiscarado da pele limpa de um ser vivo. Há uma maneira muito inteligente de fazer isso, utilizando aspectos defumados de um aroma de chá e flores como narciso e jonquilho como parte de um acorde abstrato de crina de cavalo.

O perfume acaba girando ao redor de uma harmonia de chá, notas cítricas e cheiros amendoados e cremosos discretos. L'Heure Fogueuse evoca o calor de uma pele limpa e perfumada com um aroma de chá herbal quente, defumado e fresco combinado a notas cítricas cintilantes e a uma certa cremosidade que está em harmonia com o chá e é agradável de sentir o dia todo. Mesmo que não seja igual no aroma há uma certa semelhança na aura dele com a do Declaration Cartier, como se a idéia tivesse sido reconstruída com novos personagens e Mathilde fizesse então uma homenagem ao clássico perfume da Cartier. Aroma fino, elegante, de boa fixação e rastro envolvente.