8 de mai. de 2020

Chanel Les Eaux Biarritz - Avaliação Perfume

Já é um fato dado que perfumes cítricos do típico Cologne não somente voltaram a ser populares como perderam sua aura de fragrâncias baratas e passaram a ser explorados de forma sofisticada. De olho nessa tendência e procurando oferecer produtos nesse sentido a Chanel inicia um novo capítulo dentro de sua coleção de exclusivos, batizado de Les Eaux de Chanel. Pela faixa de preço e pelo estilo das fragrâncias seria possível dizer que essas criações se enquadrariam bem na linha mais comercial da marca, entretanto é bem provável que não venderiam muito bem por fugirem do padrão de perfumaria masculino e feminino que a Chanel vem desenvolvido. E também como a marca recentemente elevou o preço de seus Les Exclusifs oferecer uma outra coleção exclusiva com preços mais acessíveis cria um outro produto que seja cobiçado e mais fácil de se ter.

Nenhum dos 3 integrantes da coleção Les Eaux tem grandes pretensões artísticas, são todos criações descontraídas e com a aura de elegância que as pessoas associam aos perfumes da Chanel. Do ponto de vista olfativo as novas Les Eaux parecem derivar da estrutura de um dos clássicos da marca, Cologne, entretanto explorando a mitologia da Chanel, modificando a ideia da Cologne para pontos turísticos amados por Gabrielle. Biarritz, por exemplo, é inspirado pelo ar puro e a energia da costa Basca, tirando uma espécie de licença poética já que geograficamente falando Biarritz na França e a costa Basca não se encontram facilmente. Ainda sim, a ideia aqui é explorar o frescor de uma eau de toilette como um mergulho no mar, mas com o objetivo de fazer isso perdurar.

Biarritz é bem sucedido no que se propõe e cria um delicado aroma cítrico e floral com um uso muito bem encaixado de notas aquosas e oceânicas, de forma que elas sugerem o frescor aquático e o ar puro mas não roubam o espaço dos cítricos. Há um blend muito bem feito de notas cítricas aqui e elas criam uma aura muito elegante onde traços de limão, mandarina, tangerina e bergamota se unem para capturar o brilho, o frescor e o aspecto revigorante da alma das frutas cítricas. Isso é sustentado de corpo por um aroma floral discreto e brilhante que apesar de dar destaque ao aroma de lírio do vale cria uma aura floral cítrica de neroli. Para sustentar o perfume na pele a marca investe, como sempre, em musks de qualidade e toques amadeirados para segurar o perfume na pele.

Diferente das outras criações exclusivas com Les Eaux de Chanel a marca tem a preocupação de criar a experiência olfativa começando do banho ao hidratante ao perfume. O Gel de Banho de Biarritz é delicioso, capturando justamente o aspecto mais fresco e revigorante da fragrância. Não há nada de novo aqui, entretanto o conjunto da obra é muitíssimo bem executado e sua sofisticação fresca e fácil de usar conquista e se torna ainda mais interessante quando os produtos auxiliares são acrescentados ao ritual.