4 de mai. de 2020

Etro Patchouly - Avaliação Perfume


Tanto a Etro como seu perfume Patchouly são veteranos na perfumaria e anteriores a glamourização que sofreu a perfumaria de nicho mais recente, o que talvez explique o motivo de não se ver muita divulgação e procura pela marca - afinal, aquilo que não tem hype não se pode ganhar status imediato ao ser divulgado e usado. Para quem, porém aprecia perfumaria independente de rótulos, preços e esteriótipos vale a pena conhecer os perfumes da marca.

Lançado em 1989 e repaginado em 2006 o perfume Patchouly poderia facilmente fazer parte das criações da década de 70 que começaram a explorar o aroma terroso, canforado, amadeirado e herbal do Patchouly. Para mim pessoalmente perfumes de Patchouly são difíceis de trazerem algo novo e diferente, pois o OE tem um perfil olfativo tão marcante e complexo que domina um perfume quando é a temática central. Isso não me impede, porém, de apreciar quão bem estruturado a nota aparece aqui.

Esse não é um Patchouly modernizado, limpo e luminoso e sim um que não tem medo de mostrar as facetas mais complexas e difíceis do OE. Há certamente uma boa dose dele, provavelmente do tipo mais dark dado o aroma terroso, amargo, canforado e até mesmo amadeirado oleoso. O perfume vai abrindo aos poucos na pele, mostrando o lado mais luminoso do patchouli e ganhando contornos ambarados e um amadeirado mais cremoso na pele. A performance é excelente e Patchouly tem uma boa duração e difusão na pele do começo ao fim. É um prato cheio aos amantes da nota e um com excelente custoXbenefício.