12 de mai. de 2020

Frapin 1697 - Avaliação Perfume


Quando 1697 foi lançado tinha expectativas baixas para ele, visto que os comentários indicavam uma alta similaridade com outro sucesso da marca, a criação 1270. Entretanto, 1697 pouco remete ao best-seller da Frapin mas trás a lembrança outros perfumes muito bons ao mesmo tempo que cria sua própria identidade. 
  
Na pele, 1697 remete em partes ao aroma de baunilha e rum do L'Artisan Havana Vanille, ambos do perfumista Bertrand Douchafour. Ao mesmo tempo, ele remete a aspectos do perfume Terre d'Sarment, da própria Frapin, bem como algo da aura de Ambre Narguile da coleção Hermessence. O que o diferencia de todos eles e predomina do começo ao fim é o rum, aparecendo acompanhado de diferentes notas e em diferentes intensidades durante a evolução. 

A saída é carregada em rum, apresentando um cheiro alcóolico doce, levemente seco e amendoado. Logo em seguida ao rum é possível sentir o aroma das frutas secas, que parecem fermentar em harmonia no rum, produzindo um aspecto de vinho. Há rente a pele um acorde especiado discreto, uma pimenta seca que balanceia o aroma doce e alcóolico. A combinação de notas me remete tanto a saturação de rum, frutas e baunilha do Havana Vanille, criação de Bertrand para L'Artisan. Só que a diferença reside nas intensidades, com o rum em foco e a baunilha e as frutas como secundárias. 

A combinação também remete ao aroma quente, doce e aconchegante do Ambre Narguile, porém sem a presença do tabaco e do ambar. Para criar a profundidade que as duas notas poderiam criar é utilizado o patchouli e a baunilha. O Patchouli tem um agradável aroma que remete ao patchouli do Terre d'Sarment, terroso, com um amadeirado acentuado pelo cedro e com um certo floral discreto indólico que se encaixa bem na idéia. 

Junto ao patchouli há uma deliciosa baunilha, que forma um aroma de chocolate meio amargo, similar ao aroma do Chocolate dos Dois Frades da Nestlè. Nesse momento o rum está apenas como secundário, arrendondando os aromas, entretanto depois que o patchouli e a baunilha se vão é possível sentí-lo novamente. Um agradável perfume, aconchegante, cheio de nuances, que vale a pena ser conhecido pelos fãs do estilo e pelos fãs dos perfumes da marca.