11 de mai. de 2020

Serge Lutens Une Voix Noire - Avaliação Perfume



Une Voix Noire é, segundo o material de divulgação, o primeiro Lutens que busca inspiração em uma de suas musas, Billie Holliday, e sua paixão por gardênias. É interessante o que esse novo lançamento consegue, um equilíbrio entre uma abordagem mais comercial e mais artística, algo que o diretor criativo havia tentado com Nuit de Cellophane e que resultou num perfume meramente agradável e previsível.

Une Voix Noire ao contrário de Nuit de Cellophane é envolvente, instigante, complexo e sedutor, mas ainda sim muito agradável. Da mesma forma que em Santal Majuscule, a Gardênia aqui não é tratada de forma ultra-realística, brutal ou desafiadora e quem espera isso em Une Voix Noire pode perder a profundidade de sua voz sedosa e envolvente, aspecto que  para mim casa perfeitamente com a sua musa e a flor escolhida.

A fragrância possui uma gardênia formada de nuances licorosas, frutadas, verdes, cítricas e frutais. A princípio, prevalece o aspecto frutal abstrato e maduro, uma das temáticas olfativas muito recorrentes no trabalho de Serge Lutens. Em Une Voix Noire é um aroma frutal que ilude, em um ponto remetendo, por exemplo, a mangas maduras ao mesmo tempo que também está relacionado a ameixas suculentas. O aroma de Gardênia representado está entre o aroma de uma tuberosa mais frutal e um jasmim não indólico, de leves contornos verdes. Não é uma Gardênia exótica, carregada no aspecto floral branco mais desafiador.

Conforme evolui e o aroma frutal se vai é possível notar um leve quê especiado e nuances de tabaco com um leve toque de mel, mas mesmo com a mudança permanece o aroma floral redondo e envolvente. É interessante que UneVoix Noire tem um pequeno link com Santal Majuscule, com ambos utilizando um mesmo aroma floral cítrico que remete a laranjeiras e que aparece depois de algumas horas na pele. Une Voix Noire passa uma aura elegante, e nesse sentido soa, de fato, noturno, mas nada que o impossibilite de ser usado durante o dia também.