4 de jun. de 2020

Bortnikoff Sayat Nova - Avaliação Perfume



Atuando como uma espécie de diretor criativo viajante Rajesh Balkrishnah trás a cada colaboração e a cada marca algo inesperado, rico e que se encaixa no estilo do perfumista com quem ele trabalha. É difícil prever o resultado do que ele concebe junto com cada perfumista pela novidade que ele explora a cada perfume. Para Sayat Nova Rajesh vai numa direção totalmente diferente do que já fez: temos um perfume gourmand, a última coisa que eu esperaria de alguém que é fã de agarwood, ervas e nuances animálicas.

Inspirando-se na história do poeta Armênio de mesmo nome, Sayat Nova tem Rajesh em parceria com o perfumista Dimitry Bortnikov para compor um perfume com um desafio, o de trazer uma composição que não tinha sido explorado ainda. É uma forma de homenagear um poeta que para seu povo é conhecido pelo caráter lendário e influente de sua poesia romântica. Sayat Nova é conhecido por ser um poeta viajante e de certa forma Rajesh acaba se comportando de maneira similar, viajando por influências da perfumaria dos 4 cantos do mundo.

Ainda que o objetivo seja ousado Sayat Nova entrega de fato algo único. Seu aroma gourmand não é banal ou comum, é uma fina harmonia entre elementos gourmands e não gourmands que surpreende o olfato pela forma como tudo flui de maneira redonda e apaixonante. Ainda que temos uma baunilha cremosa e que remeta a licor atuando de fundo a sintonia é mais complexa: é uma espécie de oud animálico gourmand, o romance proibido entre dois mundos que na prática não deveriam funcionar.

Sayat Nova começa com uma abertura que eu nunca senti em um perfume antes, um aroma suculento e ultra-realista de damasco que faz você visualizar a textura e sabor do mesmo só de sentir o cheiro. O damasco parece puxar o aroma floral exótico do narciso, que atua de fundo junto com os oud animálicos criando uma ilusão de couro, nuances animálicas segunda pele e algo que me remete a ambergris de qualidade. Por cima disso temos uma baunilha adulta e narcótica, combinada a um rum adocicado e ao aroma sedoso, suculento e frutado de damasco.

Sayat Nova envolve a pele nessa dança contraditória e única de elementos doces, florais, animálicos e frutados e é surpreendente como tudo está tão bem encaixado que você se pergunta como isso não foi desenvolvido antes. Não é a toa que seu primeiro lote de 100 unidades esgostou rapidamente, a fragrância é um luxo sofisticado, interessante e fácil de ser apreciado e um perfume que me deixou curioso para conhecer mais da perfumaria que Dimitry Bortnikov desenvolve.