9 de jun. de 2020

Guerlain Parfum des Champs Elysees - Avaliação Perfume


Ter a chance de conhecer Parfum de Champs Elysees é uma benção e ao mesmo tempo uma grande maldição. É uma benção que um grande amigo me mandou uma amostra generosa e que  me encantou desde a primeiro momento que o senti, e uma maldição por ser tão raro e caro conhecê-lo é como se apaixonar por um desconhecido  sabendo que você provavelmente nunca mais retornará a vê-lo.

Eu gosto de quão sensual e redondo esse perfume se mostra na minha pele desde o primeiro momento até a fase final dele na pele. E me surpreende seu caráter vintage mas fresco ao mesmo tempo, que demonstra o uso de matérias primas excepcionais em uma execução impecável, luxuosa, digna da atemporalidade que os grandes clássicos apresentam.

Mesmo que não haja sândalo listado em suas notas, a primeira impressão que eu tenho é de um belo sândalo indiano, amanteigado, cremoso, amadeirado, com um leve toque de cravo da índia. E depois dessa primeira abertura sensual ele vai se tornando mais floral e doce e ainda mais belo. As flores o dominam com seu cheiro doce e sedutor, uma mistura de violetas com um aroma terroso de iris e um quê bem leve de heliotropo e um uso bem sutil de tuberosa apenas para dar um toque no acorde floral e torná-lo um pouco mais sensual.

O couro nesse perfume é discreto, mais cru e com um aspecto de musgo. Não é um couro sedoso ou que remete a camurça, mas também não é um couro animal e defumado. É uma evolução sóbria e elegante para o belo coração quente e floral que o antecede. Pena que não seja mais feito, e apenas tenho esperanças de que algum dia a Guerlain o produza novamente em uma edição acessível, mantendo toda a beleza, charme e sensualidade que ele tem. Um dos melhores Guerlains que eu já tive a chance de provar até hoje.