19 de jun. de 2020

Lanvin Rumeur Vintage - Avaliação Perfume



Lanvin é um exemplo do que acontece com uma grife quando é passada para as mãos de alguém onde o valor histórico é simplesmente jogado no lixo e o valor comercial barato é o que impera. Os perfumes clássicos da grife mostram-se sofisticados, bem elaborados e luxuosos, perfumes a altura de rivais como Chanel, Guerlain, Jean Patou e Dior. Já os de hoje são simplesmente criações genéricas e comerciais, feitas para um público que simplesmente não tem nenhuma idéia do passado da marca.

Rumeur é um exemplo onde o legado clássico e histórico da grife é simplesmente transformado em um perfume comercial de pouca relevância. Isso é uma pena já que a versão original é um belo exemplo de intensidade, complexidade e abstração. É difícil categorizar Rumeur pois ele parece ter elementos tanto especiados, como chypres, como animálicos, couro  e até mesmo frutais. Nada predomina, tudo é utilizado para criar uma peça olfativa cujas as partes não são expostas e nem muito evidentes conforme evoluem.

O que é mais notável dele talvez é o aroma animálico da raiz costus e que dá a ele uma discreta similaridade com o Nina Ricci Filles d'Eve. É o mesmo aroma almiscarado, rente a pele, um pouco lácteo. Ele é o fio condutor do perfume, junto com uma base que remete a couro, porém não é exatamente um couro animálico tratado, e sim como se fosse a pele macia e sedosa de um animal limpo. A combinação poderia torná-lo bestial, entretanto a refinação é a chave para entendimento desse perfume, que contrabalanceia esse aroma com um cheiro frutal que lembra ameixas mergulhado num aroma especiado quente e um pouco doce.

É esse aroma especiado quente a primeira impressão dele na pele, que abre espaço para a combinação animálica cremosa e que remete a pele e para o aspecto que vem logo em seguida, o aroma frutal que remete a ameixas secas. Não é um perfume linear, entretanto não evolui como um perfume clássico tbm, com cada fase marcada pela distinção do que predomina nela. Se fosse relançado hoje, seria um perfume luxuoso digno de uma coleção histórica e de prestígio, semelhante ao que vemos com os Les Exclusifs da Chanel. Infelizmente, sua existência está em um catálogo de clássicos da grife que hoje fazem apenas parte do passado.