18 de jun. de 2020

Natura Biografia Feminino Versão 2019 - Avaliação Perfume

Lançado em 1996 o perfume Biografia Feminino além de ser um clássico da Natura é uma das minhas memórias olfativas dos tempos de criança. Sempre temos algum tio ou tia com quem estabelecemos um carinho maior e uma relação mais próxima e uma das minhas tias mais queridas é que me proporciona a memória olfativa desse perfume. Uma das primeiras fragrâncias que usei inclusive foi um presente dela, uma lavanda da Natura que ganhei quando estava me tornando adolescente. Minha tia em minhas memórias de criança tinha um aroma agradável e aconchegante. Em um dia de frio uma vez ela me emprestou uma blusa para ir para casa e eu não queria devolvê-la justamente pois pelo cheiro da blusa me sentia mais próximo dessa minha tia.

Me vejo refletindo sobre essas memórias olfativas com a recente repaginação que a Natura fez na linha Biografia em 2019. Se você faz as contas percebe que essa criação possui 24 anos já e é difícil que um perfume permaneça hoje tanto tempo em mercado - somos movidos pelo que é novo e diferente e é difícil ser fiel a um perfume. É acertado a posição da empresa de renovar constantemente a identidade da sua linha Biografia e fazer ajustes na fragrância para que ela continue a permanecer relevante - podemos até reclamar das reformulações, mas nós mesmos como pessoas não nos reformulamos ao longo da vida? Nossa própria Biografia é uma constante reformulação.

A evolução do design do perfume Biografia me dá a impressão de resgatar o aspecto luxuoso de sua fragrância e isso parece refletir na própria fórmula do perfume, que sofre algumas mudanças para retornar às origens do perfume original de 1996. A formulação antes de 2019 focava muito mais no aspecto frutado e meio ácido do cassis e colocava as flores verdes e leves em segundo plano. A versão atual retorna ao aroma floral primaveril das minhas memórias de infância.

É interessante que isso seja feito, pois de certa maneira 30 anos depois estamos prestes a um retorno a um estilo de perfumaria da década de 90 e o perfume Biografia é um bom exemplar desse estilo e uma das criações da Natura que não remete a nenhum perfume em especial - isso eu sempre admirei na empresa, ela é uma das que mais se esforça no mercado nacional para criar algo distinto. Biografia feminino é uma sintonia de flores primaveris leves - um buquê de frésia e lírio do vale que soa delicado e sofisticado. A saída coloca novamente as frutas em segundo plano e dá um leve toque aquático , permitindo que um aroma verde delicado e que as flores primaveris reinem. A base lista cedro e musgo como notas, entretanto elas servem mais como acessórios distantes a uma boa dose de musks.

Diferente de outros clássicos da Natura o musk aqui não soa comum, ele combina bem com o lírio do vale e a frésia e parece criar um casulo macio e distantemente amadeirado e terroso. O que o perfume Biografia representa não é fácil de ser obtido, singularidade, leveza e elegância exige bastante do perfumista, ainda mais quando isso é obtido de maneira atemporal e duradoura. Vejo que Biografia acaba cumprindo o que seu nome promete, escrevendo um capítulo da história da Natura, da perfumaria do Brasil e da história de vida de pessoas como eu, que possuem memórias olfativas e afetivas relacionadas a ele.