30 de out. de 2020

L'Orchestre Parfum Encens Asakusa - Avaliação Perfume

 



Em Encens Asakua a L'Orchestre Parfum por algum motivo quebra a coesão estabelecida nos nomes de cada um dos 5 primeiros integrantes. Em vez de termos um instrumento e uma nota temos dessa vez uma referência a Asakusa, um bairro em Tóquio no Japão onde se mantém a atmosfera mais tradicional de Tóquio. Encens Asakusa faz referência a templos sagrados e preces acompanhadas ao som do Koto, um instrumento musical de cordas dedilhadas, e procura entregar um incenso místico, atalcado e encantador.


Como boa parte dos 5 perfumes da primeira coleção Encens Asakusa se encaixa muito bem na melodia/temática proposta ao mesmo tempo que é uma fragrância que trás alguma coisa de familiar com o que já está presente no mercado. Nesse caso temos uma junção bem inusitada, de um incenso apimentado similar ao encontrado no perfume Bois d'Encens com um aroma aldeídico e atalcado não muito distinto do perfume Chanel No 22.


É como se em Encens Asakusa o incenso e as pimentas na saída servissem como o incenso no templo, para purificar as energias e colocar a mente em um estado de meditação/reflexão. Passado esse aspecto seco, apimentado e amadeirado/incensado temos a representação da melodia mais clássica e delicada. Ela se desenvolve na pele com aspectos aldeídicos e atalcados bem evidentes, similares ao Chanel No 22, terminando numa base levemente amadeirada e incensada, com musks arredondando o aspecto delicado do perfume na pele. É certamente uma fragrância peculiar pela junção de elementos que trás mas uma que entrega algo muito bem feito e condizente com a proposta. Só poderia muito bem ter levado diretamente em seu nome o instrumento a qual ela presta homenagem. 

Boticário Boticollection Horizonte - Avaliação Perfume

 

É interessante que a Boticário tenha escolhido trazer Horizonte como um lançamento dentro da ala masculina recém paginada da Boticollection. A marca poderia ter trazido de volta outros clássicos no frasco simples e elegante que fizeram para a linha de clássicos, uma forma que a empresa encontra de baixar os custos e manter em catálogo os perfumes com público fiel e que já não vendem mais tanto como antigamente. Entretanto, a empresa resolveu trazer um novo clássico e ao que tudo indica a demanda por ele foi boa visto que no presente momento encontra-se esgotado no site da marca.

Horizonte vem com uma proposta de ser uma espécie de clássico moderno, como se tentasse agradar a dois públicos ao mesmo tempo. Essa é em essência a força dos contrastes que a marca utiliza no conceito da fragrância, personificados aqui pelo frescor cítrico e pelas notas herbais em contraste com a assinatura de madeiras nobres. Para muitos talvez isso será o novo que a marca aponta que os homens irão buscar, mas novamente a Boticário aposta em algo sem risco nenhum aqui.

Na pele Horizonte é um perfume agradável com um quê de perfumes clássicos e bastante frescor cítrico redondo e fresco para soar bem moderno. Há uma certa doçura também que as vezes se revela na pele e as vezes não, como se tivesse sido bem encaixada para não destoar da proposta. A lavanda e as ervas aromáticas acabam sendo os destaques da composição e um leve toque de gálbano junto com o musgo fazem lembrar uma versão mais simplificada do perfume Chanel Egoiste Platinum. As madeiras da base não são muito destacadas e dão um leve toque rústico amadeirado ao final da composição. Horizonte é um perfume médio, com um preço acessível e talvez justamente seu caráter seguro, moderado e seu bom preço explique justamente seu sucesso inicial para o público masculino que consome o Boticário.

29 de out. de 2020

L'Orchestre Parfum Cuir Kora - Avaliação Perfume

 


De todos os conceitos que unem uma música a uma fragrância Cuir Korá é o que faz mais sentido dentro da coleção da L'Orchestre de Parfum. O Corá mescla elementos do Alaúde com a Harpa e é um instrumento de cordas muito usado por tribos na África Ocidental. Sua confecção envolve, além de madeira, a utilização de couro - inclusive suas cerdas podem ser feitas do material. Cuir Kora homenageia muito bem essa ideia, trazendo um couro amadeirado, selvagem e especiado que dialoga com a imagem de o início de uma cerimônia tocada utilizando o instrumento Corá.


Cuir Korá acaba sendo contraditório em seu comportamento na pele e é justamente esse aspecto o seu charme e encanto. Ao mesmo tempo que selvagem é um perfume harmonioso e ao mesmo tempo que bruto é um perfume gentil. Essas duas facetas de sua personalidade parecem refletir a própria natureza primitiva e ancestral do instrumento versus a doce e suave melodia que é gerada dele.


Na saída é que mora o momento mais selvagem e intenso de Cuir Korá, abrindo com um forte, seco e emborrachado aroma de couro. Há um aspecto levemente medicinal nessa fase e que parece se misturar ao aroma do couro e ao exótico toque frutal de manga. Passado esse primeiro momento Cuir Korá se transforma em uma melodia mais harmônica e gentil, onde o couro seco e emborrachado se transforma em macio e permite que se perceba as nuances minerais de incenso e que se observe mais claramente o aspecto especiado cremoso e fresco na pele. No fim uma leve doçura balsâmica surge devido a presença do benjoim. Cuir Korá tem uma boa projeção e fixação na pele, mas é preciso paciência para que se aprecie seu lado mais intenso e selvagem nos primeiros momentos de aplicação.

Avon Segno Success - Avaliação Perfume

 


O perfume Segno foi um dos maiores acertos da Avon na perfumaria masculina recentemente, trazendo uma fragrância sofisticada, de boa performance e bom custo para a marca. É natural que isso levasse a exploração de flankers e no fim de 2020 finalmente recebemos por aqui Segno Sucess, criado para um homem de perfil inspirador e que encara o sucesso como algo a ser compartilhado. 


A Marca posiciona Segno Success como uma iteração mais inovadora de Segno mas na pele o perfume parece ser uma versão mais sofisticada, uma que parece unir moderação nas suas nuances olfativas a uma boa performance na pele. Os perfumistas Frank Voekl e Harry Fremont trabalham aqui em um amadeirado aromático que gira ao redor de mandarina, âmbar vetiver e couro amadeirado.


Na pele Segno Sucess mostra uma direção mais especiada do que aromática de fato e que fica no meio do caminho entre o Amadeirado Especiado do perfume The One o Amadeirado Aromático do perfume Portinari. A saída trás não apenas o frescor adocicado da mandarina, trás um aspecto cremoso e fresco de cardamomo e um leve toque de pimenta rosa. O perfume parece ter um pouquinho de cravo ou canela também, mas nada que seja listado na pirâmide olfativa.


Conforme evolui Segno Sucess mantém o equilíbrio e frescor aromático e especiado da saída e trás uma leve doçura, como se quisesse equilibrar o acorde amadeirado que virá depois. O Vetiver da fragrância é uma versão mais redonda e suave da mesma ideia presente no Segno tradicional, abrindo espaço para um couro meio camurça aparecer de fundo. A doçura acompanha a evolução e envolve o couro e as nuances amadeiradas do sândalo, terminando a fragrância de uma forma sofisticada e suave na pele. 


Não há nada muito inovador aqui, porém Segno Success entrega algo muito elegante e harmônico e que combina muito bem com o tipo de público masculino que sua proposta e propaganda miram.É um perfume perfeito para uso no dia-dia, principalmente em situações onde queremos ser notados mas onde precisamos ter moderação na fragrância utilizada.

28 de out. de 2020

L'Orchestre Parfum Neroli Flamenco - Avaliação Perfume


Alguns temas da perfumaria são como sabores básicos de sorvete dentro de uma sorveteria. Você sabe que a maioria das marcas terá pois vende bem e as pessoas avessas ao arriscado e diferente irão justamente no que é familiar. Entretanto, o básico deve ser feito com algo de especial e único para que se justifique a existência dentro de um negócio que se propõe a ser artístico, conceitual, exclusivo ou gourmet (no caso de uma sorveteria, é claro).


Neroli Flamenco para mim em termos de fragrância nada mais é que um sorvete básico e comum que se paga caro dentro de gourmetização absurda. O que há de sinestésico e novo em oferecer um Néroli luminoso, fresco, cítrico e amadeirado? Nada, a não ser a associação com uma caminhada ao entardecer guiado pelos arpégios de um guitarra flamenca. 


Mesmo a associação feita é rala: o que poderia ser um perfume sensual, tórrido e apaixonante para acompanhar o solo de uma guitarra flamenca vira um cítrico floral fresco. Não há nada de errado com ele, exceto o fato de já ter sido feito à exaustão e a L'Orchestre não acrescentar absolutamente nada de novo. Temos aqui um néroli com um floral mais clássico e uma leveza cítrica mais moderna, apoiado numa base amadeirada leve e transparente. É bem executado porém tedioso, nem um pouco criativo e nada excepcional nem em termos técnicos. É um básico cobrado caro e travestido de conceitual.

Avon Black Essential Leather - Avaliação Perfume

 



Definitivamente a linha Black Essential caiu nos gostos do público brasileiro mesmo tendo problemas de performance, o que é compensado pelo excelente preço e boas promoções da Avon Brasileira. Após o grande sucesso do perfume Black Essential Intense a marca resolveu em nosso território resgatar um flanker de 2010 e que não tinha sido lançado por aqui, o perfume Black Suede Leather.


Rebatizado de Black Essential Leather o aroma e a proposta não mudam em relação ao original de 2010: um perfume sedutor, rebelde e misterioso feito como uma nova interpretação do clássico Black Suede. Dessa vez o aroma de couro é suavizado e ganha nuances de gengibre, flor de tabaco, ervas aromáticas, cedro, vetiver e ambar.


Nos primeiros minutos na pele Black Essential Leather é bem promissor, como se fosse uma versão  elegante e mais simples do clássico Cartier Declaration. Temos aqui uma base amadeirada mineral com nuances macias de couro em contraste com uma saída fresca e especiada de cardamomo, gengibre, noz moscada. A flor de tabaco e o tabaco em si fazem o papel de evolução entre saída e fundo mas não há nada muito seco, defumado ou com aroma de mel e que possa remeter a tabaco. 


Infelizmente como outros perfumes da linha Black Essential a versão Leather também decepciona em termos de performance na pele. Ainda que seja mais encorpado na saída assim que passa 2 horas o perfume praticamente desaparece e será necessário reaplicá-lo. A Avon poderia aumentar a concentração dessa linha, mesmo que a um preço mais alto, para que o verdadeiro potencial das fragrâncias pudesse aparecer.