8 de jul. de 2020

Amberfig Vive La Fetê - Avaliação Perfume



Compre o decant com 5% de desconto usando o cupom PDDEGUIDO5:
https://rb.gy/slpwgr

Compre o perfume no site da marca:
https://rb.gy/u14cd7


Em Vive La Fête é como se amberfig lançasse um perfume que celebra a vida bem ao estilo da música da Xuxa. Aqui a vida é uma festa, da cor de sorvete e com recheio de amor. É uma das criações da marca que abre mão de um estilo mais intelectual de perfumaria para se jogar em algo mais pop, mais farofa. Mas essa é uma 'farofa' feita com a atenção aos detalhes e com pequenos aspectos exóticos por trás dessa grande e alegre festa.

O que carrega a composição é um estilo gourmand de aroma onde a doçura da baunilha vai se revelando na pele conforme o tempo passa. É uma celebração clássica de baunilha comercial, acentuando a cremosidade doce e alegre da mesma envolta no caramelo e no toque amendoado da fava tonka e do heliotropo. O que torna essa festa mais adulta e mais a cara da Amberfig é a forma como o perfume abre.

Vive La Fête começa com um aroma mais seco de conhaque e evolui para uma bebida mais adocicada devido a presença do rum. A baunilha nesse primeiro momento se mostra mais discreta, somente cremosa, e é acompanhada por alguma especiaria fresca e pelo toque floral do heliotropo. O heliotropo ajuda a dar um leve aspecto clássico a essa ideia comercial e faz a ponte para o lado mais amendoado que surge junto com a segunda fase da baunilha. Nessa próxima etapa ela se revela mais açúcarada, com um toque de açúcar queimado, e as madeiras e talvez um um uso sutil de mirra entrem aqui para impedir que o perfume se torne doce ou literal demais.

Como outros perfumes da marca Vive La Fête tem uma boa projeção e fixação na pele e seu aroma menos denso e complexo certamente irá agradar a muitos que estão mais acostumados com a perfumaria comercial recente. Mas essa criação é mais uma prova de que dentro de uma perfumaria indie é possível trazer ideias mais comerciais e mais populares sem perder a qualidade e sem deixar de trabalhar um lado mais exótico.