30 de out. de 2020

Boticário Boticollection Horizonte - Avaliação Perfume

 

É interessante que a Boticário tenha escolhido trazer Horizonte como um lançamento dentro da ala masculina recém paginada da Boticollection. A marca poderia ter trazido de volta outros clássicos no frasco simples e elegante que fizeram para a linha de clássicos, uma forma que a empresa encontra de baixar os custos e manter em catálogo os perfumes com público fiel e que já não vendem mais tanto como antigamente. Entretanto, a empresa resolveu trazer um novo clássico e ao que tudo indica a demanda por ele foi boa visto que no presente momento encontra-se esgotado no site da marca.

Horizonte vem com uma proposta de ser uma espécie de clássico moderno, como se tentasse agradar a dois públicos ao mesmo tempo. Essa é em essência a força dos contrastes que a marca utiliza no conceito da fragrância, personificados aqui pelo frescor cítrico e pelas notas herbais em contraste com a assinatura de madeiras nobres. Para muitos talvez isso será o novo que a marca aponta que os homens irão buscar, mas novamente a Boticário aposta em algo sem risco nenhum aqui.

Na pele Horizonte é um perfume agradável com um quê de perfumes clássicos e bastante frescor cítrico redondo e fresco para soar bem moderno. Há uma certa doçura também que as vezes se revela na pele e as vezes não, como se tivesse sido bem encaixada para não destoar da proposta. A lavanda e as ervas aromáticas acabam sendo os destaques da composição e um leve toque de gálbano junto com o musgo fazem lembrar uma versão mais simplificada do perfume Chanel Egoiste Platinum. As madeiras da base não são muito destacadas e dão um leve toque rústico amadeirado ao final da composição. Horizonte é um perfume médio, com um preço acessível e talvez justamente seu caráter seguro, moderado e seu bom preço explique justamente seu sucesso inicial para o público masculino que consome o Boticário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Commentários/Comments