29 de out. de 2020

L'Orchestre Parfum Cuir Kora - Avaliação Perfume

 


De todos os conceitos que unem uma música a uma fragrância Cuir Korá é o que faz mais sentido dentro da coleção da L'Orchestre de Parfum. O Corá mescla elementos do Alaúde com a Harpa e é um instrumento de cordas muito usado por tribos na África Ocidental. Sua confecção envolve, além de madeira, a utilização de couro - inclusive suas cerdas podem ser feitas do material. Cuir Kora homenageia muito bem essa ideia, trazendo um couro amadeirado, selvagem e especiado que dialoga com a imagem de o início de uma cerimônia tocada utilizando o instrumento Corá.


Cuir Korá acaba sendo contraditório em seu comportamento na pele e é justamente esse aspecto o seu charme e encanto. Ao mesmo tempo que selvagem é um perfume harmonioso e ao mesmo tempo que bruto é um perfume gentil. Essas duas facetas de sua personalidade parecem refletir a própria natureza primitiva e ancestral do instrumento versus a doce e suave melodia que é gerada dele.


Na saída é que mora o momento mais selvagem e intenso de Cuir Korá, abrindo com um forte, seco e emborrachado aroma de couro. Há um aspecto levemente medicinal nessa fase e que parece se misturar ao aroma do couro e ao exótico toque frutal de manga. Passado esse primeiro momento Cuir Korá se transforma em uma melodia mais harmônica e gentil, onde o couro seco e emborrachado se transforma em macio e permite que se perceba as nuances minerais de incenso e que se observe mais claramente o aspecto especiado cremoso e fresco na pele. No fim uma leve doçura balsâmica surge devido a presença do benjoim. Cuir Korá tem uma boa projeção e fixação na pele, mas é preciso paciência para que se aprecie seu lado mais intenso e selvagem nos primeiros momentos de aplicação.