30 de out. de 2020

L'Orchestre Parfum Encens Asakusa - Avaliação Perfume

 



Em Encens Asakua a L'Orchestre Parfum por algum motivo quebra a coesão estabelecida nos nomes de cada um dos 5 primeiros integrantes. Em vez de termos um instrumento e uma nota temos dessa vez uma referência a Asakusa, um bairro em Tóquio no Japão onde se mantém a atmosfera mais tradicional de Tóquio. Encens Asakusa faz referência a templos sagrados e preces acompanhadas ao som do Koto, um instrumento musical de cordas dedilhadas, e procura entregar um incenso místico, atalcado e encantador.


Como boa parte dos 5 perfumes da primeira coleção Encens Asakusa se encaixa muito bem na melodia/temática proposta ao mesmo tempo que é uma fragrância que trás alguma coisa de familiar com o que já está presente no mercado. Nesse caso temos uma junção bem inusitada, de um incenso apimentado similar ao encontrado no perfume Bois d'Encens com um aroma aldeídico e atalcado não muito distinto do perfume Chanel No 22.


É como se em Encens Asakusa o incenso e as pimentas na saída servissem como o incenso no templo, para purificar as energias e colocar a mente em um estado de meditação/reflexão. Passado esse aspecto seco, apimentado e amadeirado/incensado temos a representação da melodia mais clássica e delicada. Ela se desenvolve na pele com aspectos aldeídicos e atalcados bem evidentes, similares ao Chanel No 22, terminando numa base levemente amadeirada e incensada, com musks arredondando o aspecto delicado do perfume na pele. É certamente uma fragrância peculiar pela junção de elementos que trás mas uma que entrega algo muito bem feito e condizente com a proposta. Só poderia muito bem ter levado diretamente em seu nome o instrumento a qual ela presta homenagem.