13 de out. de 2020

Xuxa Meneghel By Jequiti - Avaliação Perfume

 



Se há algo na carreira da rainha dos baixinhos que misterioramente ocorreu muito longe do seu auge de sucesso foi o lançamento de um perfume. A Xuxa sempre foi conhecida por gostar de fragrâncias e por ter um gosto bem particular para eles - durante anos era conhecido que o Azarro era o favorito da famosa loira - e por isso surpreende que nenhuma das grandes marcas nacionais a tenha procurado para fazer uma colaboração.


Mas se lançar um perfume estava na lista de coisas a fazer na carreira de Xuxa em 2017 isso foi cumprido com a parceria feita com a Jequiti. Na época do lançamento o jornal Extra deu ênfase ao fato de que a loira era conhecida por chegar a um ambiente pelo seu perfume característico - Clean Warm Cotton. Aparentemente a dificuldade em encontrá-lo no Brasil levou a Xuxa a reproduzir seu aroma favorito com a Jequiti e lançá-lo sob seu nome. E que a versão da Jequiti teria ficado tão similar que a própria Xuxa passou só a usar sua criação no lugar do Clean Warm Cotton.

O quanto há de verdade nisso é difícil saber, mas o fato é que Xuxa Meneghel By Jequiti captura justamente esse apelo em um aroma funcional limpo, um estilo de perfumaria polarizante. A própria Clean, da qual Xuxa é fã, surgiu apostando nesse tipo de perfumaria em 2003, com o objetivo de capturar da maneira mais pura e ideal possível o perfeito aroma de limpeza de um sabonete. Warm Cotton, o favorito da loira, foi lançado pela marca 4 anos após com o objetivo justamente de capturar a sensação de uma tolha quente, e macia recém saída da secadora de roupas.


É essa aura de aroma limpo e funcional o principal apelo da fragrância da Xuxa e justamente o que causou uma divisão entre os que odiaram a fragrância e os que o amaram. Xuxa Meneghel trás uma impressão viva e direta do paraíso de um aroma de limpeza, com a sua combinação de cítricos e notas cintilantes sendo capaz de evocar diferentes tipos de produtos: aromatizador de ambientes, veja multi-uso, sabão em pó clássico e até mesmo desinfetante cítrico herbal.


O perfume da Xuxa tenta pesar um pouco mais para o lado refrescante e herbal da ideia com a inclusão da menta e do funcho, como se fosse uma ligação com o estilo clássico de perfume fougere que a loira também gostou de usar no passado. Há uma vaga ideia floral limpa e cintilante também que se mistura às ervas e cítricos, como se os restos mortais de um perfume tivessem sobrevivido ao ciclo de lavagem da roupa. E passado essa fase mais estridente e intensa o perfume termina justamente no aspecto macio e aconchegante, uma cama de musks discretos com um sutil toque amadeirado de sândalo e cedro. Para uma deo colônia a fragrância é bem satisfatória e certamente não foi isso que a levou a ser descontinuada. Hoje Xuxa Meneghel by Jequiti virou uma relíquia e um objeto de cobiça, atingindo preços que chegam a triplicar o valor do original e mostrando que após descontinuado o perfume da famosa Rainha dos baixinhos só aumentou em prestígio entre o fiel público que o amou.