25 de nov. de 2020

Paco Rabanne Erotic Me - Avaliação Perfume


É interessante e contraditório que Erotic Me seja um dos perfumes mais ousados da Pacollection e um dos mais fáceis de usar. Inspirado no filme clássico Barbarella, Erotic Me propõe uma sobrecarga sensual, onde couro e uma sensação de pele se misturam a um acorde leitoso e a a suavidade floral e de pêssego do Osmanthus. É como se na pele Erotic Me oscilasse entre o espacial e o terrestre, entre o suave e o agressivo e entre o sintético e o natural.


Curiosamente para um perfume de tão grandes contrastes Erotic Me é um dos mais delicados da coleção. Não estamos diante de um erótico hardcore, e sim uma prática mais suave e íntima entre dois amantes. O osmanthus é uma escolha interessante aqui, pois ao mesmo tempo que suas nuances florais e de pêssego são exploradas ele é uma peça chave em trazer o lado couro, seu aspecto mais animálico e oleoso que aqui pode servir para transmitir de maneira artística e conceitual os fluídos corporais.


O Acorde leitoso é evidente na saída junto com o osmanthus e é como se fosse uma homenagem a um dos perfumes mais ousados da perfumaria comercial da década de 90, emulando as nuances lactônicas, o aroma de vitamina B e o aspecto de rosas de Le Feu d'Issey. De certa forma isso cria uma aura meio alienígena, como se fizesse referência ao filme homenageado aqui. O couro de fundo atua mais como uma camurça do que um couro de fato, trazendo uma faceta polida e sofisticada de couro, uma segunda pele diferenciada.

Erotic Me certamente mexe com os sentidos e brinca de maneira livre com o seu nome mas não é uma fragrância para quem espera algo chocante dado seu nome. É mais uma fragrância para quem deseja um toque coditiano de ousadia e sedução, algo a ser descoberto de uma maneira mais íntima.