21 de dez. de 2020

Prada Olfactories Mirages Babylon - Avaliação Perfume

 


Fragância disponível por encomenda com Kenia Ferreira 

A coerência é um feito digno de admiração e elogio na coleção Prada Mirages. Todas as fragrâncias exploram o lado misterioso e sofisticado de fragrâncias orientais e resinas aromáticas conhecidas desde os primórdios da civilização tendo uma espécie de assinatura olfativa que permeia os integrantes da coleção.

Em Babylon essa narrativa não poderia estar mais evidente possível ao homenagear a antiga civilização Babilônica em um estilo de criação que une o minimalismo da Prada a extravagância dos perfumes orientais. A descrição de Babylon é precisa e direta ao ponto, uma combinação densa de sândalo, ambar e ládano feita para evocar miragens e imagens de um palácio em meio a areias cristalinas.

Daniela Andrier utiliza o aspecto nobre e contemplativo do sândalo para propor uma fragrância amadeirada com ares de realeza e toque de mistério desértico. Ainda que a marca prometa uma combinação densa, há um interessante equilíbrio entre potência e densidade aqui, com uma evolução aveludada e controlada na pele. Babylon é um perfume simples, que trás a riqueza cremosa e amadeirada de um sândalo que parece mirar na qualidade mais nobre de sândalo, a do Mysore. Ao redor dele é trabalhado o estilo oriental primitivo e rico da linha, que combina o aroma mais incensado e seco de ambar a um leve toque animálico negro secundário. 

Babylon termina de uma maneira mais amadeirada na pele combinando sândalo ao que parece ser um uso elegante de musks. É uma fragrância que ainda que possua um estilo contemplativo e introspectivo se mostra equilibrada o suficiente para ser usada em diversas ocasiões, convidando inclusive para uso combinado com outras fragrâncias da linha Mirages.