20 de jan. de 2021

Louis Vuitton Au Hasard - Avaliação Perfume



Amostra enviada por Kenia Ferreira. Encomendas podem ser feitas via instagram: https://www.instagram.com/kenyadacosta01/

Esse é certamente um nome muito peculiar para um perfume de uma coleção exclusiva e de nicho, já que traduzindo do francês significa algo como "aleatório, ao acaso". A ideia por trás disso parece ser a de emular dentro do perfume e em seu aroma a viagem ao desconhecido, a sensação inesperadas.

Curiosamente, Au Hasard não soa nem um pouco inesperado e parece mais uma exploração a um território olfativo que uma outra marca de luxo já fincou a bandeira e se fez conhecida por isso. O encontro do sândalo com o aroma de musk da semente de ambrette e as notas frutadas e cítricas que são trabalhadas juntos imediatamente remete a assinatura olfativa de alguns perfumes da Creed. Considerando que eles vendem muito bem, talvez tenha sido algo intencional.

O que é interessante disso é que a inclusão da assinatura olfativa de couro, marca de boa parte dos perfumes da linha, dá vida nova a ideia e é interessante por que a Creed nunca fez isso em seus perfumes mais frescos. Au Hasard encontra um equilíbrio entre um leve tom frutado de pêra, um frescor cítrico sofisticado e um aroma seco e levemente oleoso de couro que se mantém discreto e persistente. 

O sândalo do perfume de fato parece ser um tipo natural e de alta qualidade, o que tem um lado positivo e negativo. O positivo é o perfil agradável e leve do aroma da madeira, e o negativo chega a ser que combinado ao aroma dos musks o perfume se torna discreto na evolução. Uma fragrância que não corresponde exatamente ao nome/conceito mas que acrescenta algo de fato inesperado (o aroma de couro) a uma ideia conhecida (a assinatura olfativa cítrica-musk-amadeirada da Creed).