19 de jan. de 2021

Louis Vuitton Orage - Avaliação Perfume


Amostra enviada por Kenia Ferreira. Encomendas podem ser feitas via instagram: https://www.instagram.com/kenyadacosta01/

O perigo de se conceber alusões e emoções fortes dentro de um perfume é a limitação mercadológica e comercial que impossibilita a entrega dos mesmos posteriormente. Talvez Orage não seja um perfume fraco dentro da coleção da Louis Vuitton, nada pelo menos que chegue perto da decepção que é Sur La Route. Porém, chamar um perfume de tempestade dentro de uma linha que parece prezar por uma abordagem comercial de luxo é garantia de que não será possível entregar o que se promete no que origina a composição.

Orage curiosamente destaca iris como uma protagonista importante para a temática, fazendo questão de enfatizar um contraste com o patchouli onde, teoricamente, a delicadeza da iris se encontra com o lado mais vegetal do vetiver e com o patchouli, que também teoricamente demanda sua atenção, representando a luminosidade e força do relâmpago. Na prática temos dentro da coleção outro perfume cítrico pomposo, com um lado mais amadeirado dessa vez e sem nuances aquáticas.

De tudo que Orage promete, o que ele realmente entrega é um contraste entre patchouli luminoso e o vetiver vegetal e isso não se traduz na intensidade ou dramaticidade de uma tempestade. Orage está mais para uma chuva amena de fim de tarde com relâmpagos bem distantes e cuja a força não pode ser sentida. A iris prometida fica só na descrição mesmo e não aparece nem de forma terrosa e nem atalcada. O que acaba fazendo o papel dela de fato é a bergamota, grapefruit e o aroma floral luminoso e leve da molécula hedione, que cria a complexidade esperada para a base amadeirada e verde do contraste entre vetiver e patchouli.

Orage perde a chance de trabalhar um aroma de couro à composição, o que poderia torná-lo mais integrado com os outros membros da coleção e mais interessante, ainda que não necessariamente ligado ao tema. Ele tem o mesmo problema que Sur La Route, de ser um perfume que soa ok e correto para um patamar de preço de 100 dólares porém aquém do que um investimento de 250 dólares sugeriria. É um perfume que não tem nada de errado e também não tem nada de expecional, é o mediano feito com luxo e sem uma aderência ao conceito criado, visto que o próprio conceito demanda uma ousadia que não se encaixa na coleção e que deixa a desejar.