27 de fev. de 2021

Cartier Les Heures de Parfum II L'Heure Convoitée - Avaliação Perfume



Significando em francês A Hora Cobiçada, L'Heure Convoité apresenta-se mais como um inusitado exercício de sensualidade. Isso acontece devido à combinação do aroma de flor de cravo e um acorde de morango, trazendo uma roupagem moderna de um acorde bem clássico.

A combinação do aspecto quente, seco e medicinal da flor de cravo com o atalaco da íris remonta ao estilo de criações antes da década de 80. A perfumista Mathilde Laurent reinterpreta tal ideia de uma maneira minimalista, clean, elegante e bem moderada. É como o estilo simples e direto remetesse às criações de Jean Claude Ellena, porém com mais variedade na temática, menos preso a uma palheta de materiais e mais encorpado. O minimalismo entregue aqui é mais de linearidade e direção do intensidade. 

O aroma de morando do perfume não é carregado e saturado, mostrando-se mais de uma maneira discreta e que equilibra o toque da iris e do cravo. O aroma de cravo é seco, áustero e chic, ressaltando o lado especiado e remetendo à assinatura olfativa dos perfumes da Caron A diferença é a base amadeirada de sândalo com nuances de musk baunilha e o aspecto terroso da íris. 

É interessante que temáticamente o perfume siga a ideia de íris existente em seu predecessor, I L'Heure Prommisse. É como se Convitee fosse a face mais dark e especiada da íris e sândalo de tal perfume, um exercício de modernidade e tradição que é interessante e arriscado em uma coleção exclusiva contemporânea.