24 de fev. de 2021

Guerlain L'Heure de Nuit - Segunda Avaliação Perfume


L'Heure de Nuit nasceu originalmente em 2012 como parte das comemorações do centenário de lançamento do perfume L'Heure Bleue. Foi lançado nessa data uma caixa comemorativo com três interpretações de Thierry Wasser para a fragrância L'Heure Bleue, cada uma delas simbolizando três partes do dia, a passagem do tempo da manhã para a noite. L'Aurore simbolização a manhã e vinha em EDT, Le Zénith simbolizava a metade do dia e vinha na em EDP e Le Crepúscule simbolizava o fim do dia e o início do próximo.

L'Heure de Nuit é um relançamento feito em 2012 do perfume Le Zénith dentro da coleção Les Parisiennes. A escolha do nome de certa forma confunde os mais apaixonados por perfumes, visto que seu aroma não é exatamente uma versão moderna e mais noturna do L'Heure Bleue e sim uma versão feita para representar o apogeu do dia e o momento de transição para a noite. Mas certamente a escolha foi tomada pensando no marketing, no aspecto mais romântico e forte do nome e provavelmente a fragrância em si fez sucesso o suficiente para se manter dentro da linha até hoje.

Provando novamente na pele fico imaginando se Thierry Wasser não resolveu deixar mais claro a ligação entre Apres L'Ondee e L'Heure Bleue ao criar L'Heure de Nuit, como se o perfumista tivesse retomado seu Guerlain Quand Vient La Pluie e trazido ele mais na direção da assinatura olfativa do clássico L'Heure Bleue. É como se Wasser retomasse as obras-prima de um pintor e partisse da estética delas para desenvolver sua própria de uma maneira mais contemporânea.

A fragrância traz a elegância da combinação de iris, heliotropo e das notas gourmands para um contexto mais direto, utilizando um toque cremoso que me parece ser baunilha e sofisticados musks para criar uma textura cremosa, algo quase como um marshmallow olfativo. A saturação de notas herbais e de cravo são removidas em L'Heure de Nuit a abrem espaço para uma flor de laranjeira que para mim tem um toque retrô, como se remetesse a bronzeador vintage. O jasmim e a rosa funcionam como notas auxiliares, trazendo uma textura floral elegante e discreta à composição.

L'Heure de Nuit também nos apresenta uma iris menos atalcada, mais vegetal e até mesmo dicreta. O Heliotropo dá um toque de cereja e amêndoas e é o que me faz pensar no perfume Apres L´Ondée junto com a iris e o aspecto mais delicado da fragrância. Originalmente escrevi que L'Heure de Nuit só faz sentido para mim como uma noite de verão e ainda continuo com essa impressão - seu ar descontraído, romântico e retrô aliado a sua leveza se encaixam bem nesse contexto. É uma homenagem que busca levar L'Heure Bleue para uma audiência que talvez considere o original uma fragrância difícil de ser usada.