12 de mar. de 2021

Amouage Honour Woman - Avaliação Perfume


Em termos de explorar o conceito criativo proposto a dupla Honour é uma das mais fracas e incipientes que a Amouage já lançou. A idéia quando o perfume foi lançado era grandiosa, contar a história de amor e traição presente na ópera de Puccini, Madame Butterfly. Honour Woman representaria a própria Madame Butterfly e o seu trágico dilema.

Um dos maiores problemas de Honour Woman é justamente a falta de dilema e dramaticidade que se esperaria de uma fragrância inspirada numa famosa ópera. De fato há algo sofisticado e luxuoso em seu aroma, mas falta à fragrância drama e um certo ar trágico. É como se a marca resolvesse capturar de uma maneira mais mansa e contida a tragédia de Madame Butterfly, o que não faz muito sentido.

Honour Woman compartilha uma temática apimentada com o seu par masculino e abre com um aroma de pimenta que é seco, fresco e ao mesmo tempo tem um toque frutado meio verde, talvez pela presença do ruibarbo. Nesse primeiro momento já é possível observar a presença da tuberosa, trazendo um ar floral verde, exótico e equilibrado.

Quando evolui Honour Woman opta por uma harmonia em vez de criar um contraste de emoções entre as fores propostas. A ideia parece capturar mais um floral primaveril agradável e equilibrado, combinado traços frutados de gardênia, um aspecto mais narcótico de jasmim e tuberosa e um toque floral fresco de muguet. 

As notas de base poderiam indicar algo mais arriscado e ousado mas também se comportam de uma maneira bem contida. O incenso se mostra mais luminoso e fresco do que esfumaçado/defumado e o ambar e opoponax parecem ser usados de maneira muito sutil, quase imperceptível. O que parece predominar mais é um aroma amadeirado mineral que se passa por vetiver aqui. Honour Woman é uma fragrância fácil de usar e agradável mas é uma das que menos se encaixa na estética da Amouage e na narrativa que a marca propõe.