23 de mar. de 2021

Avon Artisan Cherry Vetiver - Avaliação Perfume


Nesse momento não é apenas a Natura que tem se esforçado para renovar uma empresa centenária e tão importante quanto a Avon. Em 2016 as operações da Avon nos Estados Unidos, Canadá e Porto Rico viraram uma empresa apartada das outras operações da Avon e foram compradas em 2019 por um grupo Sul coreano de cosméticos. É nesse contexto que a marca tem investido em novos cosméticos e fragrâncias que tentam unir sofisticação e um preço acessível.

A linha LYRD (Layers Redefined) é uma das novas apostas da Avon Norte Americana em capturar o consumidor que busca nesse momento fragrâncias desprovidas de gênero e que investam na qualidade dos aromas que vão em cada frasco. A linha é feita para a arte de layering de maneira que cada fragrância funcione por si só mas seja facilmente combinada a outras fragrâncias.

No Fim de 2020 a marca lançou a dupla Artisan, propondo dentro da linha LYRD fragrâncias que sigam esse foco nos materiais mas com combinações inusitadas. E Cherry Vetiver se encaixa muito bem nessa proposta, trazendo uma ideia de cereja adocicada com um macio vetiver do haiti para algo quente e certamente inesperado. É um encontro de dois mundos que poderia não dar certo mas que funciona inesperadamente muito bem.

Cherry Vetiver é minimalista, discreto mas com muita qualidade em seu aroma. Sua proposta parece seguir um estilo mais segunda pele de fragrâncias que costuma fazer sucesso no mercado asiático e que também tem seu público no mercado americano. A cereja não é tão adocicada, parecendo mais frutada, delicada e leve. Seu aroma parece ser ressaltado por um leve toque atalcado, como se sustentada por notas de violeta, iris e heliotropina para criar as nuances de um acorde fantasia de cereja.

Da mesma maneira que a cereja o vetiver também é trabalhado de um ponto de vista mais moderado. Seu aroma parece incorporar nuances cítricas de fragrâncias que combinam neroli e vetiver. Ao mesmo tempo há um aspecto amadeirado, mineral e com um leve toque verde. É uma ideia de vetiver que vai numa direção compartilhável e que deixa bastante espaço para ser combinado com outras fragrâncias, tanto numa direção mais amadeirada como numa direção mais adocicada e frutal.