31 de mar. de 2021

Valmont Store Veneziane Verde Erba I - Avaliação Perfume


Quando se trata de perfumaria que se posiciona de maneira luxuosa eu vejo que a fragrância passa a ser apenas um dos componentes que justifica o preço. A história construída, o frasco proposto e a narrativa contada influencia no que o consumidor final irá comprar, sendo que muitos desses consumidores não são apaixonados por perfumes e precisam apenas se encantar com a experiência proporcionada.

A marca suíça de cosméticos Valmont parece compreender bem isso na criação de sua imagem na perfumaria e em especial na criação da Olfactory Tales. Celebrando a entrada da marca no mundo da perfumaria tal coleção foi lançada como jóias esculpas em formato de obras de artes com uma temática primaveril. As fragrâncias são um convite a uma visita à Veneza e unem a sensualidade do Oriente a um ode às flores. Em Verde Erba I essa narrativa se traduz em uma fragrância floral verde centrada na flor Syringa.

Confesso que a estética dos frascos da Valmont ainda que seja artística me faz pensar em algo meio sinistro e sombrio nos rostos que são esculpidos nos frascos. A fragrância não traz nada de sinistro ou até mesmo da opulência no frasco e parece se encaixar muito bem na temática primaveril proposta. Sem conhecer o aroma da flor retrata o que sinto em Verde Erba me faz pensar em um aroma floral verde delicado que parece uma versão enaltecida do aroma do lírio do vale. Há nuances de rosas de maneira secundária, como se fossem rosas que ainda não desabrocharam e que possuem um aroma bem verde.

A parte oriental da fragrância é bem comedida e faz uma junção interessante entre perfumes florais e uma estética orientalista que aponta para os perfumes modernos de oud. O uso do papiro aqui me sugere a presença de nargamota, o que acrescenta um amadeirado exótico que remete a um agarwood de maneira discreta. A presença da baunilha é bem sutil também, conferindo uma cremosidade sem muita doçura. Pelo aroma somente eu não consigo ver justificativa em Verde Erba I para o preço de 420 dólares 100ml mas olhando o conjunto da obra posso dizer que a marca se esforça em criar uma narrativa luxuosa que tente ser o mais coerente possível para que isso se justifique. O frasco em si já é uma obra de arte luxuosa mesmo que seja uma de gosto questionável.