29 de abr. de 2021

Mancera Black Gold - Avaliação do Perfume


Uma das coisas que acho intrigante na perfumaria é como em uma indústria com profissionais tão experientes passem inconsistências tão fáceis de serem percebidas pelo consumidor. Acredito que talvez seja proposita, que as marcas queiram que as pessoas sejam guiadas pelo canto da sereia. Em Black Gold isso fica evidente na ideia de trazer duas palavras que são moda na perfumaria, prometendo um perfume masculino ousado e elegante.

Certamente ousado Black Gold é, visto que seu aroma está mais para um perfume unissex com aspectos atalcados de violeta, algo mais presente em criações femininas de fato. A fragrância em si utiliza seu canto da sereia para nos surpreender com uma série de contrastes entre notas frescas e quentes que não seriam esperadas apenas pela pirâmide olfativa.

Na abertura de Black Gold sinto um aroma que é ao mesmo tempo fresco, aromático, quente e doce. A doçura especiada da canela parece entrar em contato com uma lavanda que soa fresca, mentolada e herbal. Os outros elementos listados pela marca parecem mais acessórios da pirâmide olfativa do que integrantes importantes da fragrância na pele.

Na evolução Black Gold surpreende por ir numa direção bem diferente do que sua saída sugere. A violeta é trabalhada de maneira atalcada, levemente adocicada e sugerindo um aroma cosmético. A rosa vai por uma direção parecida e o jasmim parece acrescentar um aspecto floral branco de sensualidade e com uma discreta doçura. As notas marinhas aqui parecem perdidas e despropositais.

Na última fase o perfume finalmente parece trazer um toque animálico e ambarado de agarwood, envolvendo o em um couro discreto e macio e em nuances de notas amadeiradas, usando também o aroma quente e luminoso do patchouli junto com o ambar e a maciez do musk. Black Gold é um perfume de muitas mudanças, ousadia em sua personalidade e de ótima fragrância. O projeto em si é que é meio confuso e incoerente e é isso que me surpreende de uma marca profissional e de tantas fragrâncias.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Commentários/Comments