30 de abr. de 2021

Mancera Black to Black - Avaliação do Perfume

 


Aparentemente esse é uma fragrância descontinuada pela Mancera e é curioso isso numa marca com um catálogo tão grande. Talvez a motivação tenha sido questões de restrição de algum material que vai na fórmula pois fora isso o perfume é uma típica fragrância Mancera. E uma que me fez enxergar algo interessante sobre a marca.

Black to Black me faz pensar em como a estética de oud, rosa e açafrão da Montale e da Mancera remete a uma versão remixada do estilo chypre floral da década de 80. O exagero está tanto na potência das fragrâncias como nas pirâmides olfativas complicadas e cheio de elementos que não necessariamente refletem no resultado final. São perfumes de estampas animais e só não tem as ombreiras pois não estamos mais nos anos 80.

Black to Black é um ode a rainha das flores, a rosa, que ganha aqui contornos neon e tem seu aroma verde e licoroso exagerado em uma overdose de patchouli, ambar e couro. Um oud animálico e açafrão compensam a ausência do musgo de carvalho para criar o jogo de sombras entre luz e escuridão que é tão típico de um perfume essencialmente chypre.  Na base a fragrância suaviza e mostra sua modernidade com a presença do musk e uma serenidade amadeirada de sândalo. Mas ainda sim retém sua alma ousada, chamativa e intensa da rosa, couro, patchouli e oud. Se é para ser duplamente Black é para ser exagerado da maneira certa. Pena que aparentemente não se ache mais.