27 de abr. de 2021

Mancera Cedrat Boise - Avaliação do Perfume


Certamente um aspecto que tem me chamado a atenção em alguns perfumes da Mancera é justamente a similaridade olfativa com outras criações bem estabelecidas no mercado. No caso do perfume Cedrat Boise o perfume na pele e as notas apontam para uma semelhança com o já clássico moderno Aventus. É interessante, entretanto, mostrar que Pierre Montale foi rápido em reconhecer o potencial que o Aventus teria: a criação da Creed foi lançada em 2010 e a da Mancera em 2011.

Similar com o que é feito em Instant Crush a maneira da Mancera de atuar aqui é capturar os blocos olfativos da fragrância concorrente, mexer nas proporções deles e contar uma nova narrativa familiar porém com alguma diferença. Nesse caso a história contada é de uma fragrância vibrante e cintilante, com notas cítricas, groselha e especiarias em um coração sensual de jasmim e folhas de patchouli. No rastro a fragrância te cativaria com notas amadeiradas, de baunilha, couro e musk.

A Mancera utiliza a Cidra como símbolo cítrico para a abertura dessa fragrância. A cidra é proveniente de territórios asiáticos e se assemelha ao limão, porém com uma casca mais espessa e perfumada. Seu aroma é similar ao de um limão e lima e é trabalhado aqui dessa maneira, utilizando a bergamota para trazer elegância e frescor. A presença da groselha sugere um frutado um pouco azedinho similar ao encontrado no aventus.

A existência de especiarias e jasmim aqui para mim parecem funcionar mais como elementos que arredondam e criam complexidade do que de fato coisas que são perceptíveis. A fragrância vai rapidamente para um fundo amadeirado com um aroma de couro. Nesse momento ela se difere do Aventus pois o couro aqui parece tender para algo um pouco mais árabe, como se tivesse alguma molécula não listada fazendo o papel de agarwood. Musgo, baunilha e musk funcionam para arredondar a fragrância e trazer maciez, um toque de doçura e um terroso bem sutil. Cedrat Boise não é exatamente um clone do Aventus mas a Mancera certamente estudou a fragrância, extraiu suas dinâmicas e contou sua própria história. Para quem gosta do Aventus há chances de apreciar esse aqui.

Nenhum comentário: