12 de mai. de 2021

O.u.i/Oui L'Experience 706 - Avaliação do Perfume


Avaliação vídeo no canal Perrella & Perfume: https://www.youtube.com/watch?v=KVnSchPc5pg

Os perfumes masculinos da linha Oui acabam disparando em mim uma compulsão, a de encontrar os defeitos da proposta quando sinto que há certa artificialidade ou exagero nisso. Mas conversando com um amigo ele me lembrou de algo importante que acaba acontecendo em quase todos os negócios: um projeto nasce com um briefing, um resumo do que é esperado dele. Esse projeto então é passado para o desenvolvido e muitas vezes quando chega no Marketing há uma mudança nos conceitos e propostas para tentar tornar o resultado final mais atraente para o consumidor, mesmo que isso se descole da realidade.

L'Experience 706 até que é um dos perfumes onde isso fica menos evidente porém é mais uma fragrância onde o time de desenvolvimento joga seguro no que agrada. A ideia aqui é sair do automático, e ter um momento de autocuidado, uma experiência que te abra para possibilidades. Com isso em mente a marca cria junto ao perfumista um perfume fougere amadeirado que destaca o cardamomo, gerânio e cedro para evocar a masculinindade contemporânea.

Certamente o perfume é bem sucedido em evocar o que é contemporâneo, trazendo um aroma que faz um contraste entre notas especiadas, aromáticas e uma base amadeirada com um toque de ambarado. Ainda sim por mais que a fragrância proponha uma experiência de sair do automático a ironia disso é que o time de desenvolvimento ou de marketing não saiu do automático. Não há exploração de novas possibilidades aqui - nem se olharmos para o cenário nacional ou se olharmos para o cenário internacional. E também não há coerência com a ligação entre perfume e identidade da marca: o destaque da folha de gerânio não se encaixa com as 5 essências que compõe as colheitas excepcionais de Grasse.

Mas se é um perfume fougere fresco, sexy e fácil de agradar mesmo que seja nem um pouco original L'Experience 706 entrega isso de maneira bem competente. Sua saída traz um gengibre mais picante e fresco equilibrado ao aroma cítrico que tenta capturar o lado elegante e leve da bergamota e o ardidinho cítrico e mais seco do grapefruit. Na evolução temos um aspecto fougere aromático bem fresco, um misto de gerânio e um toque de folha de violeta com ervas provençais, usadas moderadamente para tentar evocar as origens francesas da marca. Na base temos um aroma amadeirado adocicado e que parece ter um toque de resina. Junto com o patchouli isso cria um aroma equilibrado, moderno e aconchegante. A performance me pareceu média, mais condizente com uma edt, porém os testes foram feitos em dias de frio. Das 3 fragrâncias foi a que mais me agradou por não parecer inspiração de nada explicitamente. Se o consumidor busca perfumes bem feitos mesmo que não sejam nada originais as criações da Oui irão certamente agradar. Vale pelo menos conhecer o kit de decants que a marca vende.