17 de jun. de 2021

Caron Tabac Noir - Avaliação do Perfume

Agradecimento especial à Kenia Ferreira por envio da amostra para análise. A Kênia está sempre cheia de novidades no instagram dela, o @kenia_kfparfum 

Uma coisa que eu nunca achei justa entre os apaixonados por perfumes foi a forma com a Caron foi criticada ao longo dos anos. A Marca sempre se viu entre a espada e a cruz, amarrada a um legado de fragrâncias severamente afetadas por restrições da legislação da União Européia. Ainda sim, ela fez tudo que pode para agradar aos seus fãs mais fieis enquanto via sua relevância e popularidade ir encolhendo aos poucos.

Mas a marca chegou num ponto crítico e tem ressurgido de uma maneira e resgatar o máximo possível de seu legado e avançar com novos perfumes. Parte desse processo envolveu a contratação do perfumista Jean Jacques, que se debruçou no catálogo da marca e reformulou as fragrâncias preservando suas identidades e criou novas fragrâncias a partir de alguns clássicos.

Tabac Noir é uma dessas fragrâncias, nascido a partir do estudo do lendário Tabac Blond, uma das primeiras fragrâncias de tabaco com nuances de couro. A ideia geral é mantida, entretanto os ingredientes são atualizados para os tempos modernos sem perder a qualidade.

O couro em Tabac Noir é um pouco mais rústico e com um toque adocicado, sem ter nuances atalcadas. O Tabaco que é oferecido aqui casa muito bem com a descrição do absoluto de tabaco dos Balcãs, possuindo um aroma de mel e com nuances esfumaçadas. Essa nuance é suportada por uma doçura de mel na saída e ancorada em um aroma amadeirado, quente, resinoso e ambarado de patchouli, estoraque, ambroxan e cedro. Tabac Noir é o que eu esperaria da Caron do presente: luxuosa, elegante, com um toque clássico, com muita qualidade e adequação aos novos tempos.