17 de jul. de 2021

Paco Rabanne Phantom e o Frasco de Robô - Seres Artificiais, Metal e Trabalho Forçado


Para explicação do nome Phantom, clique aqui.
Vídeo de primeiras impressões: https://youtu.be/uFyxQf0oDEA

Eu tenho visto que o frasco do perfume Phantom de Paco Rabanne tem gerado reações polarizantes. Mas decidi me debruçar sobre o significado do frasco e vi que nem mesmo ele é aleatório no conceito que foi construído pela marca para essa fragrância. Apenas lembrando, o conceito de Phantom é o do futuro com um olhar para o passado. 

Harry Houdini foi conhecido como um grande ilusionista do século XIX. O que poucos talvez saibam é que Houdine tentou também a carreira de cineasta, sem muito sucesso. Entretanto Houdini foi o responsável para criação da primeira figura que ficaria para sempre no imaginário conhecida como robô.



Houdini lançou um filme silencioso em 1919 chamado The Master of Mystery. Uma série de 15 sequêncis de filmes onde houve a primeira aparição de uma figura robótica no cinema. Ele não tinha o nome de um robô pois o termo robô só surgiria um ano depois, em 1920 numa peça criada por Josef Čapek e chamada de R.U.R [Rossum's Universal Robots]. É interessante que em 1919 as pessoas se sentiam alarmadas pela figura do robô, um ser humanoide que não seria muito diferente de nós e capaz de se libertar e pensar por conta própria. O Formato do frasco de Phantom reflete perfeitamente essa homenagem vintage.



Há um segundo aspecto do porque do Robô, considerando que os robôs estão prestes a entrar na nossa vida como uma parte do cotidiano. O Robô é definido no dicionário Oxford como "uma criatura artificial sendo tipicamente feita de metal e se assemelhando a um humano ou outro animal". E qual foi o material com o qual Paco Rabanne ficou famoso na moda? O Metal. Coincidências né? Claro que não.



A escolha de um robô também é muito interessante pelo que um robô significa. A primeira citação à palavra é proveniente na literatura em 1839, mas não se referia máquinas humanoides de ficção científica. O termo Robô vem de do tcheco robota e denotava "um sistema central de servidão, onde o aluguel de um inquilino era em trabalho forçado ou serviço".  Basicamente, um sistema de escravidão para pagamento de aluguel.




Em 1920 o autor tcheco Karel Čapek criou uma peça que começa com uma fábrica que produz pessoas artificiais, os robôs universais do título do filme. Os robôs são feitos para servir aos seres humanos e trabalharem para eles, mas eventualmente eles se revoltam contra seus mestres e destroem a raça humana (ou seja, uma crítica ao trabalho escravo e a desumanização do ser humano nessa condição). Čapek não iria chamar essas figuras artificiais de robôs, e sim de labori, que significa trabalho em latim. Porém seu irmão Josef Čapek teve a ideia de utilizar a palavra Robota para designar essas figuras humanoides que trabalhariam de maneira forçada para a humanidade. Basicamente Fantasmas de seres humanos, figuras que não possuem alma ou vontade própria. E estamos prestes a entrar numa revolução industrial que será definido pelo uso desse tipo de tecnologia. Paco Rabanne está sendo vanguardista ao explorar tudo isso disfarçado e um inocente frasco de perfume de robô metálico.