7 de jul. de 2021

Sapientae Niche Heroin - Avaliação do Perfume



Ainda que a Spientiae Niche não se debruce nos detalhes de um dos seus maiores sucessos o perfume Heroin tem o tipo de história que hoje só pode ser contada na perfumaria de nicho. O nome Heroin significa em inglês Heroína, termo utilizado tanto para significar uma mulher capaz de suportar feitos incomuns como também para significar uma das drogas ilíticas mais conhecidas. A Heroína é um droga que causa rápida sensação de prazer, bem-estar e sonolência. Ela é produzida a partir da papoula, mesma planta da qual o ópio e a morfina são extraídos. A Heroína inclusive nada mais é que uma  refinação da morfina em outra substância.

A parte mais interessante desse perfume reside nas homenagens indiretas que são feitas. Ao denominar seu perfume de Heroin a Sapientae niche faz uma homenagem a uma das fragrâncias mais icônicas do fim da década de 70, o perfume Opium de Yves Saint Laurent, inspirado nos poderes narcóticos e viciantes do Ópio. O Nome Heroína em si é um aceno também à mitologia grega, remetendo à Deusa Hera, que por sua vez personifica uma divindade da mitologia indo-européia conhecidda como Deusa da Papoula. Certamente a empresa alemã Bayer levou isso em conta quando deu o nome de Heroin à variação da morfina obtida a partir da pspoula.

Ainda que Heroin não tenha OE de sementes de papoula ou um acorde de papoula seu aroma é feito para trazer principalmente a sensação de prazer e bem-estar da substância. O aspecto proibido e narcótico da composição fica pelo contraste entre o Absinto (erva amarga utilizada para fazer uma bebida também viciante) e as notas gourmands de base.

Como muitos dos perfumes da marca, Heroin favorece a intensidade das notas de base, calibrando essas para que o usuário seja envolvido em uma nuvem aromática marcante e duradoura. A saída traz um acorde interessante de amêndoas, que parece ser trabalhado de alguma maneira para remeter também a frutas silvestres. O doce das frutas e amêndoas é combinado ao lado mais aromático, meio amargo e alcóolico do absinto.

Passado o primeiro momento da composição o perfume cria um aspecto floral que equilibra o lado mais gourmand e a base mais ambarada e amadeirada. O Ylang-ylang junto com o coco nos cria uma textura floral cremosa, lactônica e sedutora. Ela nos conduz ao bem estar adocicado da base, que combina a doçura da baunilha a uma textura amadeirada abstrata e agradável, uma que usa aspectos de cedro, sândalo e patchouly para criar o aroma amadeirado aconchegante e exótico. É interessante como intencionalmente ou não o couro e o musgo de carvalho fazem uma homenagem a papoula da qual a heroína é extraída, trazendo um aroma defumado e emborrachado que remete aos compostos fenólicos das sementes dessa flor. Ainda que seja voltado ao público masculino essa é uma fragrância cujo a doçura, conforto e sensualidade de seu aroma é capaz de agradar a ambos os sexos.

Nenhum comentário: